terça-feira, 15 de novembro de 2011

UM MIL REAIS - A POLÊMICA DO HUM

Amigos Leitores eu acho incrível o grau de alcance deste veiculo de comunicação, ficamos lisonjeado quando as pessoas nos para na rua para nos elogiar, nos corrigir, ficamos mais felizes ainda quando nos enviam matérias, quando nos enviam sugestões seja presencial, através do Orkut, twitter, facebook, e-mail.
Este texto é para esclarecer uma matéria que causou polêmica e acho que foi uma das que mais repercutiram na boca do povo, que foi o texto intitulado: Projeto de lei do executivo quer criar cargo de Engenheiro “Cível” por “Hum” mil e seiscentos reais (Eu não errei, é isso mesmo)
A polêmica gerada não foi nem tanto pelo conteúdo da matéria, a real causa foi o “Hum”. As pessoas começaram a me parar na rua e falar: ué? Mas não tá certo? Eu já recebi cheque onde o “1” é escrito “hum” Por extenso... Recebi ligações, recebemos e-mails para tentar consertar esse “um”. E eu sempre dava e em toda minha vida eu darei essa mesma explicação até achar argumentos que me faça mudar de idéia:
Galera é comum sim encontrar, tanto nos cheques como na especificação por extenso de números em documentos contábeis, a grafia errônea hum para o numeral cardinal um. É totalmente errado escrever assim, mas é aceito porque segundo alguns banqueiros mais tradicionais para evitar que ágüem escreva antes do valor algo como VINTE E UM MIL REAIS. Apesar disso ser um erro gravíssimo de português ainda hoje é aceitável em cheques, não em projetos de lei!
Se vocês não acreditam em mim, vamos aos textos de especialistas em português:
José de Nicola e Ernani Terra em seu livro 1.001 Dúvidas de Português dá a seguinte lição: "Trata-se de um equívoco injustificável. O numeral cardinal admite apenas a forma um”
Antonio Henrriques deixa claro no livro: Prática da Linguagem Jurídica que "entre os numerais cardinais nunca se fala em hum, forma arcaica que bancários e banqueiros tentam ressuscitar para evitar fraude", lembra Antonio Henriques que "nem mesmo a Lei do Cheque (nº 2.591, de 7/8/1972) faz tal exigência". E adverte tal autor: "que se evitem fraudes, mas não atropelando a linguagem". Mais radical, Domingos Paschoal Cegalla em Dicionário de Dificuldades da Língua Portuguesa observa que "não se usa um antes de mil. Diga-se ou escreva-se mil reais, mil e quinhentos dólares. No preenchimento de cheques, evite-se escrever hum mil reais, hum mil e oitocentos reais. Há meios tão seguros quanto esse para evitar falsificações sem atropelar a língua".
Resumindo: o correto é mil reais, e não um mil reais e muito menos hum mil reais
Ok galera, não foi uma aula muito confiável essa, mas é muito importante na hora de criar uma lei que tudo esteja bem explicado e na norma culta da língua.

O trabalho do circulodefogo.net foi licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição - CompartilhaIgual 3.0 Não Adaptada

3 comentários:

  1. Houve um erro gravíssimo da sua parte no texto acima. Você escreveu: " As pessoas começaram a mim parar na rua e falar...". O correto é: As pessoas começaram a ME parar na rua e falar...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Poxa cara, valeu mesmo por nos avisar, serio, se não tivesse com preguiça agora eu editaria. Mas obg

      Excluir
    2. Obrigado pelo aviso, já corrigimos o erro :) Continuem comentando nossas postagens, lemos todos os comentários!

      Excluir

Comente com responsabilidade, sem direcionar o seu comentário a nenhum membro ou pessoa particular. lembre-se que seu comentário ficará visível e poderá ou não ser respondido por qualquer pessoa.